6 de dezembro de 2013, Jaraguá do Sul

Junte-se à uma nova comunidade de pessoas apaixonadas pela criatividade musical.

Entre para nossa lista e receba conteúdos exclusivos e com prioridade

Ela deve ter um pouco menos de 2 anos. Bem pequenina, cabelos castanhos e olhos azuis lindos, mas que, em 2 meses de trabalho na escola, sempre chorava e grudava na perna da professora quando eu entrava na sala. Tentávamos convencer, a professora participou algumas vezes para ver se ela se animava e nada…Tinha que se retirar… Muito choro e medo daquele cara cabeludo e barbudo com um monte de coisas nas costas para musicar com a turma. 

Hoje foi o último dia de aula. Não foi diferente, bastou eu chegar, ela me ver e…. BUÁÁÁ!!! Seus lindos olhos azuis eram uma poça de água cada. Olhei para a professora e entendemos no olhar que deveríamos deixar ela ali dessa vez.

Choro. Berro. Não deixava eu encostar nela. Estava dura e tensa… A professora aparece na janela e pergunta se quer que eu a deixe com ela mais uma vez. Eu disse não. Dessa vez ela fica comigo. 

Coloquei-a em meu colo com a trilha sonora do choro em altíssimo volume, nariz escorrendo e lágrimas… Muitas. Puxei a turma pra fazer uma movimentação pela sala enquanto eu cantava cantigas com ela no colo, encostada no meu peito e lhe dando todo carinho em um tom de calma passando leve e repetitivamente a mão sobre as suas costas. 

Limpei seu nariz, enxuguei as lágrimas e o choro começou a virar só soluços….

Sentamos e, na distribuição dos instrumentos, ela escolheu o tamborzinho laranja. Os soluços continuaram, mas no decorrer das canções e atividades ela e o tamborzinho eram uma coisa só. Mostrei como se batucava com a baqueta e ganhei o primeiro sorriso. Logo, esse mesmo sorriso se multiplicou e o que era soluço virou risada. Um brilho de alegria começou a ficar mais forte nela. 

Ao final da aula, após guardar os instrumentos, no meio da pequena muvuca ela me procura e, quando acha, encara (mesmo!) com um sorriso largo. Eu abro os braços e ela corre pra me dar um abraço apertado e demorado. 

Acho que nunca me senti tão amado dentro de um ambiente de trabalho. Pena que foi a última aula do ano, mas foi “A” aula do ano!

Educador musical, consultor e pesquisador, além de compositor e arranjador. Licenciado em Educação Artística com Habilitação em Música (UDESC) e Pós-Graduado em Educação Musical (CENSUPEG). Em Florianópolis (SC) atuou na cena de bandas autorais assim como em projetos e pesquisas sociais de música nos grupos Arrasta-Ilha, Balakubatuki e Siri-Goiá. Atualmente é educador em musicalização infantil, violão, canto, iniciação ao teclado e atua como regente do Grupo de Maracatu “Aurora do Vale” no município de Jaraguá do Sul (SC). É o formador oficial em Santa Catarina do coletivo de Educadores “Música e Movimento” com coordenação de Uirá Kuhlmann.

Nenhum comentário ainda on 6 de dezembro de 2013, Jaraguá do Sul

Deixe um comentário